sábado, 7 de junho de 2014

Capitulo LXXXVIII. A chuva veio visitar o condomínio

Estamos no dia 19 de maio de 2012, tempo  real da história.

Observação feita às 11:13 horas


 Era manhã e chovia.  Ontem vimos que estava fresco, hoje está a chover. 

 o que é dramático para as trabalhadoras e zeladoras do bem estar do condomínio.


 a primeira visão é desta vespa que anda no chão/parapeito da janela, o que não é normal ver. Mas exibe aqui toda a beleza do seu "tatuado" corpo...
  estava eu a ver a vespa no parapeito e do vespeiro  vinham olhares concentrados para mim. Este jogo de olhares dá-me uma sensação de que esperam por mim para jogarmos ao sério...
  é assim, estamos a falar de olhares e quase não víamos, mas, é claro, há novidades, o favo que ontem vimos mais elevado está hoje tapado. Já lá vão três. A coisa cresce a cada dia

 Tínhamos deixado escrito que a posição das asas tinham a leitura de prontidão, lembram-se? hoje porém observo que não é bem por esse motivo que estão assim maio aberta. pois em dias fresco elas andam mais calmas, hoje tem a ver com  a chuva, assim secam melhor
  aqui vemos uma imagem da chuva nos telhado em frente, está alagado e dá para ver que está a chover.
  e hoje a chuva vinha de frente, notava-se que o vespeiro tinha sido atingido.
  Se repararmos com atenção vemos que as vespas estão a trabalhar a cobertura para obstar que a água não se infiltre e estrague a estrutura

Foi um dia de observação que deu para ver que as vespas não se atrapalham com a adeversidade, se está calor arejam se chove calafetam...

continua...

 Luís

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Capitulo LXXXVII. Afinal os favos não são iguais para todas as larvas

 Estamos no dia 18 de maio de 2012, tempo  real da história.
Observação deste dia começa  às 8 horas e depois às 18:17.




Já tínhamos visto que estavam dois favos tapados. mas quanto mais olhamos mais pormenores vamos reparando que nos mostram a diversidades deste condomínio...

 para além das rotinas, com este espaço que as vespas têm para por os pés, não é de estranhar que as estejamos sempre a ver, parece que, no mesmo sitio, mas cada passo tem a sua função.

 mas estavam a reparar, já viram que os favos não têm todos os mesmo tamanhos, pois é, reparei que o primeiro favo a ficar tapado é mais pequeno que o segundo a ser coberto e este tem uma cobertura com melhor aspecto, e, o que está mesmo ali ao pé (das Vespas), continua a crescer em altura. Pois já tinham reparado, estão atentos, eu também reparei por esta altura.
 a vigilância mantêm-se como habitualmente. mas é uma vigilância calma, como o dia que está para o fresco, elas estão também mais "relaxadas" pois não precisam de dar às asas para arejar/climatizar

 por falar em climatizar, é isso, não se dá à asa, mas dá-se o corpo. Como vos tinha dito o dia está mesmo pró fresco e aí entra o corpo das vespas, na parte de trás. Assim mantém a temperatura controlada

 e aproveitam, para reforçar a cobertura e o alicerce, este podemos ver aqui como está forte esta coluna que se funde com o muro, está uma sapata de respeito, não acham? muito bela esta imagem. Estamos mesmo muito próximos
  e somos avisados, pois é temos de manter a diplomacia do sossego, certo! vamos retirar...






... vamos continuar amanhã... 
 continua... 
 Luís

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Capitulo LXXXVI. e eis que surge uma nova cobertura


Estamos no dia 17 de maio de 2012, tempo  real da história.
Observação das 16:45.
 Hoje só pelo meio da tarde me foi possível assomar ao beiral e que vejo???   não pode ser, mas é verdade está outro favo coberto 

acho que até as vespas ficaram espantada com o meu espanto. e que grande cobertura, muito mais imponente que a primeira a surgir e que está ali mesmo ao lado

 olhemos melhor e mais de perto. reparem na alvura desta cobertura, tem o aspecto fofo de algodão-em-rama

 No meu espanto, e curiosidade de ver mais de perto, até me esqueço de que estou a invadir um espaço que está por sua vez ocupar o espaço do meu beiral. As vespas numa primeira fase dão-me tempo para ver e elas continuam a sua rotina 
Mas, agora alto lá, parecem dizer-me pois agora pararam e todas a três presentes me fitam  e parecem querer dizer, já viste 


e eu, dei por muito bem empregue este meu observar, que partilho, como não podia deixar de o fazer, convosco, meus fieis observadores do meu observar, e...
 continua.
 Luís

terça-feira, 20 de maio de 2014

Capitulo LXXXV. olhamos uma larva nos "olhos"


Estamos no dia 16 de maio de 2012, tempo  real da história.
Observação das 09:42
a esta hora da manhã o sol ilumina o vespeiro de frente, não está muito calor e por tal as vespas andam calmas na sua rotina. Já vimos que quando o calor aperta não há tempo que chegue para arejar, climatizar o condomínio.


observamos as vespas que parecem "vasculhar" atenta e serenamente interior dos favos

sabemos agora que a que está com a cabeça enfiada, está simplesmente a alimentar a larva que anafadamente cresce no seu leito larvar 

  e quando se afasta deixa ver a larva que, agora parece fitar-nos, será que pensa em nós como o "jantar" ou será que nem em nós repara. Eu tive a impressão de a olhar nos olhos

 é impressionante como as vespas de tão concentradas que estão não se incomodam nada mesmo com a nossa presença. Será que hoje é dia de visita?
pena é ter de sair, o trabalho chama e hoje ficamos por aqui.


... continua...
 Luís


domingo, 18 de maio de 2014

o movimento no vespeiro no dia 13 de Maio



Hoje divulgamos mais um video, este do dia 13 de Maio de 2012 em que podemos observar o vespeiro com um favo já "tapado" e uma larva num outro casulo enquanto as Vespas fazem a sua rotina



...
 Continua...
 Luís

sábado, 17 de maio de 2014

Capitulo LXXXIV. Hoje vamos observar com atenção os Padrões

   Estamos no dia 15 de maio de 2012, tempo  real da história.
Observação das 18:55
 Estava a tarde a decorrer com boa luz, a esta hora, esta zona já está na sombra e por tal as vespas fazem uma rotina de observação e reparação. não há necessidade de arejar com o seu frenético bater de asas

nesta foto, podemos ver a posição das asas, é de prontidão, com o meu assomar no seu horizonte visual ela toma a posição de defesa

 e há mesmo uma aproximação, dela, à câmara que eu aproximei para observar com estava a "cobertura" do favo fechado, parece ter uma "fenda" acastanhada, aquele espécie de risco que se vê, mas está mesmo fechada


as vespas hoje estão particularmente colaborantes, e a minha câmara vagueia sob o vespeiro com alguma facilidade que elas consentem. Assim podemos ver a regular irregularidade das "paredes dos apartamentos" do condomínio, para além dos padrões das cabeças das vespas e dos pormenores das suas patas
aqui podemos ver uma vespas completa, e se repararem bem, tem como que uma amassadela, ali ao meia da asa, tem essa mossa desde o inicio, mas isso não a impede de ser uma activa trabalhadora. Tenho a impressão que é um das primeiras vespas a aparecer por aqui


 ao fim da tarde e com o sol a não aquecer esta zona, as vespas vão para a parte de trás  do condomínio para desta forma manter a temperatura ideal

 as outras continuam na sua rotina de  alimentar e reparar
 como muito bem nos é dado observar nestas duas últimas fotos, podemos ver, na de cima, uma vespas em contacto com a larva no casulo

e esta outra com as suas mandíbulas repara os bordos dos favos, reparem como é: as suas antenas tacteiam os bordos e detectam as falhas e depois as mandíbulas reparam modelando.
 outra observação que podemos anotar  é esta espécie de olhos que sobressai no topo da sua cabeça, que faz lembrar os vários olhos das aranhas.
 ... Continua...
 Luís

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Capitulo LXXXIII. Se a rotina é perturbada o pelotão arma-se

  Estamos no dia 14 de maio de 2012, tempo  real da história.
Observação das 11:16
Estava uma bela manhã de sol e já ia alta quando pude fazer a observação do dia 
as vespas parecem nem dar pela minha aproximação de tão embrenhadas estão na lide que é manter o condomínio limpo e arejado, pois se repararem na pose das vespas que se encontram na "horizontal" elas estão a "bater" as asas furiosamente pois a temperatura desta manhã já é elevada e o sol bate de frente


Nem raparam, pensava eu, mas houve alteração da rotina, como se pode ver, uma delas continua a arejar mas uma outra parou e "fita-nos" em pose de avançar se necessário

 afastei-me, quer dizer retirei a máquina, ligeiramente e pareceu voltar ao normal, as cinco vespas presentes estão de novo na labuta

 avancei um pouco mais a máquina ( estou a trabalhar em macro e é necessário estar perto do ""objecto" a fotografar e ei-la novamente de atalaia, tensa e ameaçadora
e de repente param e fazem formação de ataque... entendi o sinal. Parei a observação mas estes momentos ficam connosco...
continua.
 Luís